Na grande maioria das vezes quando escrevemos um artigo, apelamos ao nosso lado mais emocional, levando por vezes ao colapso do lado racional.
Não querendo de modo algum ofender ou reprimir alguém, é com algum espanto que me deparo com o conteúdo dum artigo intitulado “Quo Vadis PSD”, na edição desta semana do Jornal “O Templário”.
Não é apenas o conteúdo que me espanta, mas também o desconhecimento que este militante do PSD tem da realidade da Concelhia do PSD em Tomar… o que é no mínimo estranho! Pois existem reuniões quinzenais que são abertas a todos os Tomarenses para que estes venham expor os seus problemas ou apresentar as suas propostas.
Que me recorde, nestes últimos 6 anos, só me lembro de ver o Sr. Sérgio Martins uma vez na Concelhia… e já lá vão cerca de 5 anos.
Cabe-me como Vogal da Concelhia, dizer-lhe que o PSD está a fazer o seu trabalho de casa, que não se está a reorganizar… já se reorganizou. E que acima de tudo está a trabalhar para se apresentar como uma clara alternativa de Governação para o concelho.
Não basta aparecer nos jornais e dizer algumas palavras, muitas das vezes vazias de conteúdo, marcar presenças em inaugurações e dizer em alto e bom som que “estamos a trabalhar em prol da população”.
Caro Dr. Sérgio Martins, felizmente os Tomarenses dos nossos dias não olham apenas para a propaganda. O Tomarense não quer saber quem está na primeira página do Jornal! Os Tomarenses querem ver os seus problemas resolvidos! Os anseios das nossas gentes prendem-se com o saneamento básico, o Lixo, as estradas, a iluminação pública, os passeios limpos… e acima de tudo o Tomarense quer ser ouvido e quer ter feedback positivo por parte de quem está nas lides políticas… e que lhe inspire confiança.
É na resolução destes e doutros problemas que o PSD está concentrado e a trabalhar. Dizer que o trabalho ainda não é visível, é uma coisa! Agora dizer que ele não está a ser feito, só demonstra o seu total desfasamento sobre a realidade concreta.
É ponto assente que em 2017, o PSD vai apresentar um Programa Eleitoral que vai poder cumprir e acima de tudo pode referir com orgulho que ouviu todos os sectores da Sociedade Civil, que foram ouvidos nas suas preocupações e que fizeram suas propostas.
As Jornadas reTomar 2017 estão em marcha e cumprem um rigoroso planeamento de todas as ações a realizar, sejam elas abertas à população ou não. Basta ver a visita do passado fim de semana à Freguesia dos Casais e Alviobeira. Ao contrário de muitos, nós estamos no terreno a ouvir a população e não o fazemos apenas em altura de eleições…
No que se refere à sua consideração sobre a Santa Casa de Misericórdia de Tomar, não é nossa intenção “andar a meter a foice em seara alheia”, pois esta mui nobre Instituição do Concelho, no mínimo, merece respeito e deve ser mantida ao lado de lutas partidárias fratricidas, cujos resultados são por vezes muito nefastos para todas as partes intervenientes.
Para terminar, garanto-lhe que em 2017 teremos um PSD renovado, consciente das dificuldades do Concelho e acima de tudo com muita ambição e vontade de voltar a colocar Tomar como exemplo de tudo o que deve ser uma gestão autárquica centrada nas pessoas e no desenvolvimento socioeconómico que todos ambicionam.
João Miguel Curvacho
(Vogal da Concelhia do PSD de Tomar)