Se fizermos uma reflecção e análise, sobre as atitudes e as declarações dos responsáveis do partido socialista de Tomar e da CDU nos últimos anos, enquanto oposição, assistia-se frequentemente a inúmeras declarações do “bota abaixo”, desprovidas de qualquer sentido de responsabilidade ou de consciência tomarense, porque o único objectivo era denegrir e afirmar com todas as letras, independentemente das temáticas, frases como má gestão, insensibilidade social, carrascos do desenvolvimento de Tomar, etc… 
Durantes todos esses anos de oposição, assistimos a um partido socialista e uma CDU, com discursos fáceis e simpáticos, que apenas tinham como objectivo, agradar à população, mesmo sabendo, que muitas dessas teorias e promessas nunca seriam possíveis de concretizar, pois são incompatíveis com uma gestão responsável e coerente.
Sabe-se que as expectativas criadas junto dos tomarenses, estão a ser constantemente goradas, pois muitas das bandeiras de então caíram por terra sem qualquer tipo de justificação ou incómodo e alguns desses exemplos disso são a manutenção da Taxa do IMI, a gestão do mercado, a transferência de verbas e apoios às freguesias, o apoio discriminatório e sem regras às associações, etc,etc..
Quanto ao IMI, sabendo que o PS e CDU nada fizeram para diminuir a taxa, contrariamente ao que apregoavam enquanto oposição, será de perguntar, o que mudou no discurso, o que mudou nas acções, que faz com que a CDU, colabore de forma serena e sem escrúpulos, com as politicas definidas e traçadas pelo PS, cilindrando todos os princípios e valores que durante anos defendeu para o concelho de Tomar.
Algo mudou na estratégia e nas acções da CDU, que tão docilmente acata as decisões e ordens do PS, mesmo que isso viole tudo o que foi dito até às últimas eleições. Os Tomarenses carecem de esclarecimentos.
Sobre o IMI os vereadores do PSD, mais uma vês, apesar de não perceberem a atitudes do PS e da CDU, que actuaram de forma contrária ao que sempre defenderam, votaram a favor e numa acção responsável e credível, disseram sim ao concelho de Tomar e às suas populações.
O PSD de Tomar propôs ainda, que os novos investidores e todos os empresários que queiram investir em Tomar, deveriam estar isentos de IMI, no primeiro ano e que se deviam analisar novos incentivos, para mais desenvolvimento e  criação de emprego no concelho de Tomar.
O PSD de Tomar e os seus vereadores, não vão seguir o caminho que o PS e a CDU adoptaram nos últimos mandatos, contra tudo e todos, pois como tem sido demonstrado até agora, o PSD de tomar irá continuar a fazer prevalecer a verdade, o rigor e a defesa intransigente dos interesses do concelho de Tomar e das suas populações.
Todos sabemos que apesar das dificuldades financeiras, as novas avaliações imobiliárias irão potenciar mais receitas para os municípios e tomar não é excepção, por isso havia de facto uma porta aberta para a redução do IMI, mas o PS e a CDU, não o quiseram, sabe-se lá porquê.
 Como diz o titulo deste artigo, “IMI a quanto obrigas”, “IMI quantos sapos fazes engolir”, espera-se que esse ”menu” apenas se distribua pela coligação do PS e da CDU e que esse festim não passe para a população de Tomar, pois não merece essa oferenda, mas merece respeito, dedicação e acima de tudo verdade e o cumprimento das promessas eleitorais.
O Deputado Municipal – Líder de bancada do PSD de Tomar
José Delgado