1. O protocolo agora proposto entre a “AMA, I. P.” (Agência para a Modernização Administrativa) e a Câmara de Tomar para a criação do “Espaço do Cidadão” é apresentado como contribuindo para uma descentralização da Administração Central com o intuito de aproximar os Serviços do cidadão.
  2. Com efeito, os vereadores do PSD nada têm contra esta intenção, entendendo até que se deve fomentar essa descentralização, sendo certo que Tomar, pelas suas condições geográficas e acessibilidades, pode vir a beneficiar da instalação desses mesmos serviços, que infelizmente têm vindo a sair do concelho nos últimos anos.
  3.  Todavia, entendemos que esta proposta de protocolo não irá ao encontro da necessidade do concelho de Tomar e dos seus habitantes, pois parece que se está a transferir, tão só, para o município, responsabilidades que devem ser desempenhadas pelos respetivos Serviços Públicos.
  4. Ora, o que se exige é a melhoria e desenvolvendo dos Serviços Públicos que existem em Tomar e a insistência na instalação de outros que sirvam os habitantes, não só do concelho, como também do Médio Tejo, potencializando Tomar como a capital desta sub-região.
  5. Com efeito, a concretização das medidas constantes do protocolo poderão contribuir para o encerramento efetivo dos Serviços Públicos existentes no concelho, podendo também colocar em causa qualidade do serviço prestado.
  6. Consideramos também que este protocolo irá acarretar para o município vários custos, dado que a Câmara Municipal ficará a suportar os custos das instalações, do pessoal e todas as despesas inerentes ao funcionamento dos referidos espaços de cidadão.
  7. O protocolo em causa deixa-nos muitas dúvidas quanto à sua eficácia e eficiência, pelo que consideramos que o executivo deveria potencializar a cidade de Tomar como a capital do Médio Tejo e exigir do Governo central a descentralização e desconcentração de serviços no concelho.
Neste sentido, os vereadores do PSD abstêm-se.
Tomar, 2 de Fevereiro de 2015
Os Vereadores do Partido Social Democrata
(João Miragaia Tenreiro)

(António Manuel Gonçalves Jorge)