1.       Os vereadores do PSD reconhecem o mérito e a pertinência do protocolo supra citado e da instituição com o qual é estabelecido, no entanto consideram que este protocolo deveria ser antecedido de um trabalho prévio que não foi feito;
2.       Recordamos, neste caso concreto, a nossa proposta para constituição de um Conselho Municipal de Cultura, chumbado pela maioria de esquerda PS/CDU, pois consideramos fundamental a integração e articulação de agentes locais que permitissem a definição sustentada de prioridades, objetivos e metas a atingir, quanto aos estudos e iniciativas a concretizar no contexto do referido protocolo;
3.       Mais uma vez, lamentavelmente, estamos perante uma medida isolada que, desarticuladamente, é apresentada sem que se conheçam os objetivos específicos, prioridades e impacto esperado no dinamismo local;
4.       Consideramos que a nossa história, o nosso património material e imaterial são vastos e representam uma riqueza que urge potenciar, mas tal só poderá acontecer em função de sensibilidades e prioridades locais. O envolvimento dos agentes locais constitui a garantia do dinamismo que pretendemos para o concelho.
5.       Neste contexto e porque consideramos que a coligação de esquerda PS-CDU não está a conduzir eficientemente o processo, mas reconhecemos o mérito da instituição parceira, abstemo-nos.
Tomar, 15 de Setembro de 2014
Os vereadores do PSD
(João Miragaia Tenreiro)

(Maria Luísa Oliveira)