a)      A proposta apresentada não se encontra fundamentada quanto ao motivo de a Câmara Municipal começar a cobrar àquela instituição o valor referido;
b)     Diz apenas que não se encontra qualquer deliberação que permita a utilização daquele espaço, mas não refere desde quando e que atividades são praticadas naquele espaço;
c)      Instituições como o Ginásio Clube de Tomar merecem ser apoiadas e protegidas, pois desta associação nascem e continuam a emergir grandes atletas que levam o nome do concelho “além fronteiras”;
d)     Começar a cobrar o valor de € 3,30/hora em face das despesas que se tem com a água e luz, constitui uma política de desigualdade, desproporcionada e desconforme em face da deliberação já tomada neste órgão, por proposta da coligação socialista e comunista, onde se propôs um subsídio extraordinário às associações que possuem espaço próprio;
e)      Os vereadores do PSD consideram que deveria ser previamente estabelecido um protocolo de colaboração com o Ginásio Clube de Tomar, prévio a uma análise das questões concretas e avaliação da potencialidade desta associação colaborar numa estratégia para o município;
f)       No caso concreto, decidir, sem, mais, cobrar € 3,30 à hora, sem quaisquer critérios ou fundamentos, não é e não pode ser a política de um executivo  que ser quer dinâmico, pró – ativo e dinamizador das energias e“forças vivas” do concelho de Tomar
g)     Face ao exposto os vereadores do PSD votam contra a proposta supra citada.
Tomar, 11 de junho de 2014
Os vereadores do PSD
(João Miragaia Tenreiro)

(Maria Luísa Oliveira)